Vinaora Nivo SliderVinaora Nivo Slider

ACESSO ENSINO SUPERIOR

 Serviços Académicos

Horário

Os Serviços Académicos da Escola Superior de Saúde de Viseu constituem uma unidade de serviços cujo principal objectivo é a gestão administrativa dos processos escolares dos estudantes, assegurando também o atendimento a alunos, docentes e público em geral.

Para além dos serviços de atendimento presencial, telefónico e por correio electrónico, disponibilizamos através da Secretaria Virtual (http://portal.ipv.pt/essv/page) informações e serviços diversificados aos estudantes.

A equipa dos Serviços Académicos acolhe-te calorosamente e deseja-te as maiores felicidades nesta nova fase da tua vida e desde já te informa que se encontra disponível para te prestar todos os esclarecimentos sempre que não consigas encontrar resposta às questões que pretendes ver esclarecidas e disponibilizadas on-line.

Recomendamos que dês preferência à utilização da Secretaria Virtual no teu relacionamento administrativo com a ESSV.

 

Horário de atendimento presencial:

De segunda a sexta-feira: 09h00 - 12h30 e 14h00 -17h00

Contactos

R. D. João Crisóstomo Gomes de Almeida, n.º 102

3500-843 Viseu

Telefone: (+351) 232 419 100

Telefone: (+351) 232 419 165

Fax: (+351) 232 428 343

E-mail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Pessoas

 Coordenadora
  • Maria Teresa Soares - Coordenadora técnica
    Telefone: (+351) 232 419 128
    Fax :(+351) 232 428 343
    E-mail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

 

 Atendimento ao Público
  • Margarida Vale - Assistente técnica
    Telefone: (+351) 232 419 118
    Fax :(+351) 232 428 343
    E-mail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

 

 Atendimento ao Público
  • Leonor Lopes - Assistente técnico
    Telefone: (+351) 232 419 115
    Fax :(+351) 232 428 343
    E-mail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

 

 Atendimento ao Público
  • Josefina Martins  - Assistente técnica
    Telefone: (+351) 232 419 117
    Fax :(+351) 232 428 343
    E-mail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

 

  • Pedro Silva - Técnico Superior
    Telefone: (+351) 232 419 122
    Fax :(+351) 232 428 343
    E-mail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Impressos

Pré-Requisito - Grupo A  - 2015/2016

 Disponibiliza-se a todos os alunos da ESSV, os procedimentos em caso de sinistro.

O impresso da participação de sinistro com o relatório do médico ou do hospital (Ficha Alert) e eventuais documentos de despesa devem ser entregues nos Serviços Académicos, até 5 (cinco) dias úteis após o sinistro.

- Manual de Procedimentos de Sinistros IPV

- Impresso de Participação de Sinistro

(Contacte os Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. para solicitar a senha de acesso aos documentos)

Candidaturas

Diagrama das Formas de Ingresso
Visualize as formas de ingresso no ensino superior, clicando aqui.

Concurso Nacional
A candidatura ao ensino superior público é feita anualmente através de um concurso nacional organizado pela Direcção-Geral do Ensino Superior. O concurso nacional realiza-se no final do ano lectivo e organiza-se em três fases, nos termos do calendário anualmente aprovado. A direcção de todo o processo relacionado com avaliação da capacidade para a frequência, bem como com a fixação dos critérios de selecção e seriação dos candidatos à matrícula e inscrição no ensino superior, compete à Comissão Nacional de Acesso ao Ensino Superior.

Para concorrer à ESSV é necessário:

  • Ser titular de um curso de ensino secundário, ou de habilitação legalmente equivalente;
  • Realizar, ou ter realizado nos últimos dois anos, os exames nacionais correspondentes às provas de ingresso. Saiba quais são as provas de ingresso aqui.
  • Realizar os pré-requisitos do Grupo A.

Em relação a cada par instituição/curso deve ser obtida em cada prova de ingresso, bem como na nota de candidatura, uma classificação igual ou superior à mínima fixada.
As classificações mínimas são fixadas anualmente por cada instituição de ensino superior para cada um dos seus cursos e são divulgadas no Guia da Candidatura.
Os candidatos podem concorrer às várias fases do concurso.
Contudo, aos estudantes colocados na 1.ª fase que concorram à 2.ª fase e nela sejam colocados é automaticamente anulada a colocação na 1.ª fase e, consequentemente, a matrícula e inscrição realizadas. De igual modo, aos estudantes colocados nas 1.ª ou 2.ª fases que concorram à 3.ª fase e nela sejam colocados é automaticamente anulada aquela colocação e, consequentemente, a matrícula e inscrição realizadas.

Exames Finais Nacionais na Candidatura ao Ensino Superior
Na candidatura ao ensino superior, os exames finais nacionais podem ser considerados de duas formas diversas:

  • No âmbito da concretização das provas de ingresso;
  • No âmbito do cálculo da classificação final do ensino secundário.

Seriação
No concurso nacional pode-se concorrer até seis pares instituição/curso, isto é, seis combinações diferentes de instituições e cursos, indicadas por ordem de preferência.
A colocação em cada instituição/curso é feita segundo as listas ordenadas dos candidatos até estarem esgotadas as vagas disponíveis. Esta ordenação é feita por ordem decrescente da nota de candidatura para cada par instituição/curso.
Assim, o processo de colocação combina:

  • a ordem de preferência indicada para cada par instituição/curso;
  • a posição em que o candidato fica nas listas ordenadas de cada par instituição/curso.

No concurso nacional, em cada fase, só é possível obter uma colocação.

A ESSV disponibiliza uma entrada:

  • 9500 – Licenciatura em Enfermagem – inicio das actividades lectivas em Setembro.

Assim, se o seu desejo é ingressar na ESSV, no curso de licenciatura em enfermagem, deverá inserir o código 9500.
Para simular a sua candidatura, clique aqui.

Mais informações acerca do Concurso Nacional, clique aqui.

 

Concursos Especiais
Os concursos especiais aplicam-se ao acesso e ingresso:

  • Em instituições de ensino superior público, com excepção das instituições de ensino militar e policial;
  • Em instituições de ensino privado;
  • Em ciclos de estudos conducentes ao grau de licenciado e aos ciclos de estudos integrados conducentes ao grau de mestre.

 No mesmo ano lectivo cada estudante apenas pode requerer matrícula e inscrição através de um dos concursos especiais.

As vagas para cada par instituição/curso, em cada um dos concursos, são fixadas anualmente por cada instituição de ensino superior.
Os concursos são válidos apenas para o ano em que se realizam.

Concursos Especiais que a ESSV disponibiliza:

  • Maiores de 23 anos - titulares das provas especialmente adequadas destinadas a avaliar a capacidade para a frequência do ensino superior dos maiores de 23 anos.
    Mais informação, clique aqui.
  • Concurso especial para titulares de cursos superiores, cursos médios ou de um diploma de especialização tecnológica;
    Mais informação, clique aqui.

Para visualizar respostas a perguntas frequentes acerca dos Maiores de 23 anos, clique aqui.

 

Regimes de mudança de curso, transferência e reingresso
Os regimes de mudança de curso, transferência e reingresso podem ser requeridos para acesso e ingresso:

  • Em instituições de ensino superior público, com exceção das instituições de ensino militar e policial;
  • Em instituições de ensino privado;
  • Em ciclos de estudos conducentes ao grau de licenciado e aos ciclos de estudos integrados conducentes ao grau de mestre.

A mudança de curso, a transferência e o reingresso são requeridos na instituição de ensino superior em que o estudante se pretende matricular e ou inscrever.

 

Mudança de curso
Entende-se por mudança de curso o ato pelo qual um estudante se inscreve em curso diferente daquele em que praticou a última inscrição, na mesma ou noutra instituição de ensino superior, tendo havido ou não interrupção de inscrição num curso superior.
A mudança de curso é requerida ao órgão legal e estatutariamente competente da instituição de ensino superior em que o estudante se pretende matricular e ou inscrever.

Condições
Podem requerer a mudança de curso:

  • Os estudantes que tenham estado inscritos e matriculados num curso superior numa instituição de ensino superior nacional e não o tenham concluído;
  • Os estudantes que tenham estado inscritos e matriculados em instituição de ensino superior estrangeiro em curso definido como superior pela legislação do país em causa, quer o tenham concluído ou não.

As condições a satisfazer para a mudança de curso são fixadas pelo órgão legal e estatutariamente competente de cada instituição de ensino superior. A mudança para cursos para os quais sejam exigidos pré-requisitos ou aptidões vocacionais específicas, está condicionada à satisfação dos mesmos.

Apresentação do Requerimento
A mudança de curso é requerida ao órgão legal e estatutariamente competente da instituição de ensino superior em que o estudante se pretende matricular e ou inscrever. Visualize o impresso de candidatura, clicando aqui.

Vagas
A mudança de curso está sujeita a limitações quantitativas. O número de vagas é fixado pelo órgão legal e estatutariamente competente de cada instituição de ensino superior.

Calendário
O calendário dos regimes de mudança de curso, transferência e reingresso é fixado por cada instituição de ensino superior.

Legislação
Portaria n.º 181-D/2015 - Aprova o Regulamento dos Regimes de Mudança de Curso, Transferência e Reingresso no Ensino Superior.

 

 

Transferência
Entende-se por transferência o ato pelo qual um estudante se inscreve e matricula no mesmo curso em instituição de ensino superior diferente daquela em que está ou esteve matriculado, tendo havido ou não interrupção de inscrição num curso superior. A transferência é requerida na instituição de ensino superior em que o estudante se pretende matricular e ou inscrever.

Condições
Podem requerer a transferência:

  • Os estudantes que tenham estado inscritos e matriculados num curso superior numa instituição de ensino superior nacional e não o tenham concluído;
  • Os estudantes que tenham estado inscritos e matriculados em instituição de ensino superior estrangeiro em curso definido como superior pela legislação do país em causa, quer o tenham concluído ou não.

As condições a satisfazer para a transferência são fixadas por cada instituição de ensino superior. A transferência para cursos para os quais sejam exigidos pré-requisitos ou aptidões vocacionais específicas, está condicionada à satisfação dos mesmos.

Apresentação do Requerimento
A transferência é requerida na instituição de ensino superior em que o estudante se pretende matricular e ou inscrever. Visualize o impresso de candidatura, clicando aqui.

Vagas
A transferência está sujeita a limitações quantitativas. O número de vagas é fixado por cada instituição de ensino superior.

Calendário
O calendário dos regimes de mudança de curso, transferência e reingresso é fixado por cada instituição de ensino superior.

Legislação
Portaria n.º 181-D/2015 - Aprova o Regulamento dos Regimes de Mudança de Curso, Transferência e Reingresso no Ensino Superior.

 

Reingresso
Entende-se por reingresso o acto pelo qual um estudante, após uma interrupção dos estudos num determinado curso e instituição de ensino superior, se matricula na mesma instituição e se inscreve no mesmo curso ou em curso que lhe tenha sucedido. O reingresso é requerido na instituição de ensino superior em que o estudante se pretende matricular e ou inscrever.

Condições
Podem requerer o reingresso os estudantes que tenham estado matriculados e inscritos na mesma instituição de ensino superior nacional no mesmo curso ou em curso que o tenha antecedido. As condições a satisfazer para o reingresso são fixadas por cada instituição de ensino superior.

Apresentação do Requerimento
O reingresso é requerido na instituição de ensino superior em que o estudante se pretende matricular e ou inscrever. Visualize o impresso de candidatura, clicando aqui.

Calendário
O calendário dos regimes de mudança de curso, transferência e reingresso é fixado por cada instituição de ensino superior.

Legislação
Portaria n.º 181-D/2015  - Aprova o Regulamento dos Regimes de Mudança de Curso, Transferência e Reingresso no Ensino Superior.

 

Atualmente não se encontram disponíveis candidaturas

É da competência dos Serviços Académicos assegurar que no processo individual do estudante constam os documentos legalmente exigidos e devidamente autenticados.

Documentos obrigatórios numa 1ª inscrição na ESSV

[1] 1 Fotocópia do documento de identificação

• É obrigatória a apresentação do documento original pelo próprio, a fim da fotocópia ser autenticada nos Serviços Académicos.

• Se efectuou reingresso só terá que entregar este documento.

[2] 1 Fotografia tipo passe

[3] Apresentação do boletim de vacinas

• Com vacina anti-tetânica actualizada

[4] Outros documentos solicitados na candidatura

• Certificados de habilitações, programas e cargas horárias de unidades curriculares, etc.

• Se efectuou um reingresso, só terá que entregar fotocópia do documento de identificação (documento [1]).

Se tem dúvidas de quais os documentos a entregar contacte os Serviços Académicos da ESSV. É obrigatório entregar o original ou cópia autenticada de todos os documentos.

[5] NIB – número de identificação bancária

[6] Autorização de residência ou visto, se for cidadão estrangeiro

[7] Pré-requisito do grupo A (consulte aqui)

Entrega e autenticação de documentos

Os documentos devem chegar aos Serviços Académicos até ao último dia do prazo de candidatura do aluno, por um dos seguintes meios:

1) Entrega nos Serviços Académicos durante o período de atendimento presencial (consultar horário de atendimento)

• Deve trazer o original e respectiva cópia de modo a que o serviço proceda à sua autenticação. O original é devolvido ao estudante.

2) Envio por correio

• Neste caso os documentos terão que ser os originais ou estar autenticados. De acordo com o Decreto-Lei n.º 28/2000 de 13/03/2000 quem pode certificar a conformidade de fotocópias com os documentos originais que lhes sejam apresentados para esse fim, são as juntas de freguesia e o operador de serviço público de correios (CTT - Correios de Portugal):

• O endereço para envio é o seguinte:

Escola Superior de Saúde de Viseu

Serviços Académicos

R. D. João Crisóstomo Gomes de Almeida, n.º 102

3500-843 Viseu

• No caso de estudantes estrangeiros, estes documentos devem ser autenticados pela embaixada ou consulado português no país de origem, ou pela Apostila da Convenção de Haia, e, se não estiverem escritos em português, espanhol, francês ou inglês, traduzidos para português por tradutor reconhecido pela representação diplomática portuguesa.

O que é a Apostila da Convenção de Haia?

A aposição da apostila encontra-se prevista no art.º 3.º da Convenção Relativa à Supressão da Exigência da Legalização dos Actos Públicos Estrangeiros, concluída na Haia a 5 de Outubro de 1961, e aplica-se apenas a documentos públicos que se destinam a apresentar nos países que aderiram à referida Convenção.

A Apostila é emitida pela autoridade competente do Estado donde o documento é originário.

Em Portugal, a emissão de apostilas é realizada pelos Serviços da Procuradoria-Geral da República. Nos termos do artigo 1.º do Decreto-Lei n.º 86/2009, de 3 de Abril, pelo serviço de emissão de apostila e pela verificação de apostila já emitida, é cobrada a importância de 10,20€. Consulte aqui.

Ligações úteis

 

 

 

Questões Frequentes

Para obter reposta a este tipo de questões deverá contactar os Serviços de Acção Social do Instituto Politécnico de Viseu através do seguinte email: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar..

Mais informações em :http://www.ipv.pt/sas/default.htm.

 

Não obtive aprovação por frequência a uma disciplina, como fazer para me inscrever a exame normal.

O estudante que esteja reprovado por não ter obtido aproveitamento a uma unidade curricular será automaticamente inscrito pelos Serviços Académicos no exame da época normal.

Sou aluno do Curso de Licenciatura e obtive aprovação por frequência a uma disciplina, como fazer para me inscrever a exame de melhoria de nota.

O estudante interessado na realização de exames de melhoria deve requerê-los presencialmente nos Serviços Académicos até 24 horas após afixação dos resultados do exame de época normal do 2.º semestre (para este efeito considera -se que a época de exames normais faz parte integrante do Ensino Teórico) e até 15 dias consecutivos após o término do ensino teórico do 4.º, 6.º e 8.º semestre, não havendo lugar a actos fora do prazo. Os exames de melhoria realizam-se no final do ano curricular.

Sou aluno do Curso de Licenciatura e não obtive aprovação por frequência a uma disciplina, como fazer para me inscrever a exame de recurso.

O estudante interessado na realização de exames de recurso deve requerê-los presencialmente nos Serviços Académicos até 24 horas após afixação dos resultados do exame de época normal do 2.º semestre (para este efeito considera -se que a época de exames normais faz parte integrante do Ensino Teórico) e até 15 dias consecutivos após o término do ensino teórico do 4.º, 6.º e 8.º semestre, não havendo lugar a actos fora do prazo. Os exames de melhoria realizam-se no final do ano curricular.

Sou aluno do Curso de Mestrado e obtive aprovação por frequência a uma disciplina, como fazer para me inscrever a exame de melhoria de nota.

O estudante interessado na realização de exames de melhoria, deve requerê-los presencialmente nos Serviços Académicos até 10 dias antes do terminus do respectivo semestre, não havendo lugar a actos fora do prazo. Os exames de melhoria realizam -se no final do 3.º semestre.

Sou aluno do Curso de Mestrado e não obtive aprovação por frequência a uma disciplina, como fazer para me inscrever a exame de recurso.

O estudante interessado na realização de exames de recurso, deve requerê-los presencialmente nos Serviços Académicos até 10 dias antes do terminus do respectivo semestre, não havendo lugar a actos fora do prazo. Os exames de melhoria realizam -se no final do 3.º semestre.

Se um aluno reprovar por faltas a uma unidade curricular de presença obrigatória, depois tem direito a tentar fazer a unidade curricular por Exame Normal ou por Exame de Recurso.

Não. A reprovação por faltas implica nova inscrição na unidade curricular no próximo ano lectivo.

 

O Protocolo de Cooperação entre a Caixa e a tua Instituição de Ensino Superior concede-te benefícios financeiros e responsabiliza a CGD pela emissão do Cartão de Identificação, depois de o solicitares junto da Caixa e de haver a respetiva autorização da Escola.
Mais informações clique aqui.

O diploma é o canudo.

Não, o diploma é o documento comprovativo da atribuição de um grau académico ou da conclusão de curso não conferente de grau, portanto, é a certidão de conclusão de um curso.

O "canudo" é a carta de curso, que consiste num documento mais formal (mas de igual valor que a certidão) e entregue numa caixa metálica, daí o nome de canudo.

Qual o documento que tenho de pedir para comprovar que terminei o curso.

Pode requerer o diploma ou carta de curso nos Serviços Académicos, ambos com igual valor certificativo, tendo como diferença o aspecto e respectivo emolumento.

 

Os estudantes para efectuarem a autenticação na secretaria virtual, só devem utilizar no utilizador: essv(nº de aluno) e a password utilizada nos computadores da ESSV.

No caso de estar inscrito em mais do que um curso, escolha o perfil adequado.

- Manual de acesso à secretaria virtual

No caso de se ter esquecido da sua password deverá contactar o Centro de Informática da ESSV, através do e-mail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar., ou através do n.º de telefone 232.419.100.

 

Decreto-Lei n.º 283/83, de 21 de Junho - Regula o sistema de equivalências/reconhecimento de habilitações estrangeiras de nível superior às correspondentes habilitações portuguesas.

Portaria nº 1071/83 , de 29 de Dezembro – Aprova os impressos dos modelos exclusivos da Imprensa Nacional – Casa da Moeda para requerimento de equivalência/reconhecimento de habilitações estrangeiras.

Procedimento

A documentação prevista na lei (diploma(s) certificado(s) de habilitações, programas, cargas horárias, teses, trabalhos e outros) deve ser entregue nos Serviços Académicos da ESSV (horário) acompanhada de cópia do documento de identificação.

O pagamento do emolumento é efectuado na tesouraria da ESSV, de acordo com a tabela de emolumentos em vigor.

Equivalência ao Grau de Licenciado ou a Cursos de Ensino Superior não conferentes de grau

• Ao abrigo do Decreto-Lei n.º 283/83, de 21 de junho, artigo 11.º, poderá solicitar Equivalência ao Graus de Licenciado ou a Curso de Ensino Superior não conferente de grau, depois de verificada a existência do grau ou diploma de nível correspondente (verificar programas de licenciatura/Cursos da ESSV).

• Deverá instruir o seu requerimento Modelo n.º 526 da Imprensa Nacional, de acordo com os n.º s 1 e 2 do art.º 12.º do Decreto-Lei já mencionado, o qual deverá ser dirigido ao Presidente do Conselho Científico da ESSV.

Reconhecimento de Habilitações a Nível de Licenciatura

• Ao abrigo do Decreto-Lei n.º 283/83, de 21 de Junho, poderá solicitar reconhecimento de habilitações estrangeiras de nível superior, desde que no sistema de ensino superior português, na mesma área, não seja conferido o grau ou diploma de nível correspondente.

• Deverá instruir o seu requerimento de acordo com os n.º s 2 do art.º 12.º e 2.º e 3.º do art.º 16.º do Decreto-Lei já mencionado.

• Para solicitar o pedido, deverá adquirir o requerimento Modelo n.º 527 da Imprensa Nacional, fazendo-se acompanhar de documento de identificação.

Reconhecimento de Habilitações a Nível Superior (Curso não conferente de grau)

• Ao abrigo do Decreto-Lei n.º 283/83, de 21 de junho, poderá solicitar reconhecimento de habilitações estrangeiras de nível superior, desde que no sistema de ensino superior português, na mesma área, não seja conferido o grau ou diploma de nível correspondente.

• Deverá instruir o seu requerimento de acordo com os n.º s 2 do art.º 12.º e 2.º e 3.º do art.º 16.º do Decreto-Lei já mencionado.

• Para solicitar o pedido, deverá adquirir o requerimento Modelo n.º 527 da Imprensa Nacional, fazendo-se acompanhar de documento de identificação.

 

Para mais informações, clique aqui.

 

Como posso obter Estatuto de Trabalhador Estudante?
Deverá requerer junto dos Serviços Académicos no acto da matrícula e/ou inscrição ou nos 15 dias subsequentes, fazendo-se acompanhar do respectivo comprovativo de inscrição na segurança social (ou regime similar). No caso de ser trabalhador independente deverá entregar a declaração de início de actividade.
Mais informações consulte:
- Lei n.º 105/2009, de 14 de Setembro - Regulamenta e altera o Código do Trabalho, aprovado pela Lei n.º 7/2009, de 12 de Fevereiro, e procede à primeira alteração da Lei n.º 4/2008, de 7 de Fevereiro.
- Lei n.º 7/2009, de 12 de Fevereiro - Aprova a revisão do Código do Trabalho (Artigos 89º a 96º).
- Lei n.º 59/2008, de 11 de Setembro - Estatuto do Trabalhador-Estudante.
Impresso para requerimento de Estatuto Trabalhador Estudante, clique aqui

 

Como posso obter Apoio Social a Mães e Pais Estudantes.
Deverá requerer junto dos Serviços Académicos, fazendo-se acompanhar do respetivo comprovativo de gravidez, ou de certidão de nascimento/cartão de cidadão do descendente.
Mais informações consulte o Decreto-Lei n.º 90/2001, de 20 de agosto.
Impresso para requerimento de Apoio Social a Mães e Pais Estudantes, clique aqui

 

Como posso obter Estatuto de Bombeiro?
Deverá requerer junto dos Serviços Académicos, fazendo-se acompanhar do respetivo comprovativo emitido pela respetiva Corporação de Bombeiros.
Mais informações consulte o Decreto-Lei n.º 241/2007, de 21 de junho.
Impresso para requerimento de Apoio Social a Mães e Pais Estudantes, clique aqui

 

Como justificar as faltas às aulas.

A justificação de faltas, deve efectuar-se em impresso próprio a fornecer pelos Serviços Académicos e ser apresentado nas quarenta e oito horas subsequentes ao regresso do estudante às actividades escolares, devendo anexar documento comprovativo.

Ultrapassei o limite de faltas. O que fazer.

Quando o estudante ultrapassa o limite de faltas às unidades curriculares de frequência obrigatória, deverá efectuar em impresso próprio a fornecer pelos Serviços Académicos o pedido de relevação de faltas.

O pedido de relevação de faltas carece de justificação com documento comprovativo.

 

Como fazer a minha inscrição após o prazo normal de inscrições.

Se já passou o prazo normal para efectuar a sua inscrição em frequência, ou seja, se ainda não se inscreveu nas disciplinas que vai frequentar durante o ano lectivo:

Dirija-se ao atendimento presencial dos serviços académicos ou entre em contacto através do e-mail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. ou do n.º de telefone: 232.419.100.

Fica sujeito ao pagamento de uma taxa: durante os 30 dias seguintes após o final do prazo normal pagará 1 Euro por dia de atraso. Ultrapassando os 30 dias pagará uma taxa de 50,00 €. Esta taxa é paga exclusivamente na Tesouraria.

 

Sou aluno/a da Escola Superior de Saúde de Viseu, todavia por motivos pessoais terei que interromper por um ano e gostaria de saber se é possível "congelar" a matrícula no próximo ano lectivo.

Sim, é possível, e chama-se a isso desistir/anular a inscrição em frequência no curso em que está matriculado.

 O que tenho de fazer para interromper os meus estudos na ESSV.

Se a sua última inscrição é relativa ao ano lectivo que está agora a terminar, não precisa de realizar nenhuma operação para interromper os seus estudos, ou como refere, "trancar"/"congelar" a sua matrícula. Como é obrigatório efectuar a inscrição anualmente nas disciplinas que pretende frequentar, quando o estudante não realiza essa inscrição fica de imediato nessa situação.

Se estiver no início do ano lectivo poderá anular a sua inscrição até 30 dias após a matrícula, beneficiando assim da redução de 50% do valor da propina.

O que tenho de fazer para voltar a estudar na ESSV.

Para regressar aos estudos na nossa Escola no mesmo curso terá que realizar uma candidatura por Reingresso e pagar o respectivo emolumento (actualmente de 70€). Para saber como e quando deve estar atento ao site da ESSV, aguardando pela saída do respectivo Edital.

 

Como pedir uma certidão.

Para solicitar quaisquer certidões deverá formalizar o seu pedido nos Serviços Académicos através do preenchimento de um impresso e pagamento do respectivo emolumento.

A certidão será entregue ao próprio, mediante apresentação do Bilhete de Identidade ou outro documento identificativo, ou a outra pessoa, mediante procuração.

Os Serviços Académicos sempre que possível emitem e entregam as certidões no próprio dia do pedido.

E os programas e cargas horárias das disciplinas.

São solicitadas da mesma forma, mas é preciso atender ao facto destas certidões não poderem ser emitidas no momento do pedido, podendo demorar algum tempo, consoante o n.º de disciplinas e a antiguidade do ano da realização das mesmas.

Impressos para requerimento de certidões clique aqui

 

De acordo com a legislação os alunos que preencham as condições de prescrição não poderão inscrever-se no ano lectivo seguinte ao da prescrição.

O regime de prescrições só se aplica a estudantes de licenciatura. Em alguns casos (mudanças de curso, por exemplo) a inscrição poderá ocorrer antes de se conseguir verificar se um estudante está ou não em condição de prescrever. Nesse caso a inscrição será anulada assim que essa condição seja detectada.

Caso prescreva é-lhe vedada a inscrição, durante dois semestres lectivos, no curso que frequenta ou em qualquer outro. Após esse ano poderá pedir o reingresso sem limitação do n.º de vagas e com o cômputo de inscrições recolocado a zero.

Consulte o regulamento de prescrições aqui

 

O valor das propinas para o ano lectivo 2015/2016 são os seguintes:

Licenciatura Propina/Ano
Geral 900,00 €
Em tempo parcial (propina mínima)* 656,50 €
Finalistas a quem faltam até 24 ECTS ou 4 unid. curriculares para conclusão do grau (propina mínima)* 656,50 €

Estudante Internacional

valor da propina normal 2.250,00 €
valor da propina do estudante que beneficie de incentivo à inscrição 900,00 €

 

Mestrados Propina/Ano
Geral 1.050,00 €
Alunos que na sequência de reprovação ou de creditação se inscrevam num número de UC's prefazendo globalmente até 50% dos ECTS do 1º ano do curso que se encontram a frequentar 660,00 €
Alunos que tendo concluido todas as UC's da componente letiva do curso de Mestrado que se encontram a frequentar, renovam a inscrição na UC estágio/projeto/dissertação nos termos pervistos no respetivo regulamento 660,00 €
Alunos em regime de tempo parcial 660,00 €

 

 Pós-Graduações não incluídas em curso de Mestrado e Pós-Licenciaturas Propina/Edição
Cursos com o número de ECTS inferior ou igual a 20 400,00 €
Cursos com o número de ECTS entre 20 e 40 inclusivé 750,00 €
Cursos com o número de ECTS superior a 40 1.050,00 €

 

Cursos Breves Propina/Edição
Estudantes Profissionais
Suporte Básico de Vida 40,00 € 80,00 €
Eletrocardiografia 60,00 € 100,00 €

  

Casos especiais

Nos mestrados que prevejam a atribuição de um diploma de póa-graduação/pós-licenciatura, os respetivos editais poderão estabelecer a possibilidade de uma redução do valor da propina para os alunos que, atempadamente, optem pela modalidade de pós-graduação. O valor mínimo da propina deverá ser calculado com base na proporção entre o número de créditos atribuídos à pós-graduação e o número total de créditos do mestrado.

Os alunos que procedam à anulação da inscrição num curso de mestrado do IPV, na sequência de candidatura e inscrição num outro curso de mestrado do IPV, ficam dispensados do pagamento das prestações de propinas vencidas, relativamente àquele em que estavam inicialmente inscritos.

Mediante autorização do IPV sob proposta do Presidente da respetiva Unidade Orgânica ficam dispensados do pagamento de propina no âmbito de cursos de pós-graduação, os trabalhadores de entidades públicas com as quais o Instituto ou as escolas tenham relações privilegiadas de cooperação inter-institucional, no máximo de 1 por edição, desde que tal dispensa seja enquadrada em protocolos dos quais resultem contrapartidas não financeiras para o Instituto ou escolas.
Quando, no mesmo ano letivo, um aluno se candidate e inscreva em mais de um curso da mesma ou de diferentes escolas do IPV, o valor pago a título de propina será transferido para o último curso em que o aluno se inscreveu, desde que esta inscrição ocorra até 60 dias seguidos após o início do ano letivo.

 

A Tabela de emolumentos em vigor na ESSV encontra-se publicada no Diário da República, 2.ª Série, n.º 202 de 20 de Outubro de 2014. Consulte aqui.

Deliberação (extrato) n.º 73/2017. Consulte aqui.

 

O que é o Suplemento ao Diploma.

O Suplemento ao Diploma é um documento bilingue (em português e inglês), que complementa o diploma, não o substituindo. Permite a comparabilidade, facilita a mobilidade e melhora a visibilidade exterior da formação obtida.

O que contém o Suplemento ao Diploma.

Nos termos do artigo 38.º do Decreto-Lei n.º 42/2005, de 22 de Fevereiro, o Suplemento ao Diploma, descreve o sistema de ensino superior português e o seu enquadramento no sistema educativo à data da obtenção do diploma; caracteriza a instituição que ministrou o ensino e que conferiu o diploma; caracteriza a formação realizada e o seu objectivo; fornece informação detalhada sobre a formação realizada e os resultados obtidos, obtidos em todos os cursos conferentes de grau.

Como posso requerer o Suplemento ao Diploma.

O suplemento é um documento gratuito, obrigatoriamente anexo à certidão de conclusão do respectivo curso.

 

Estou inscrito em unidades curriculares isoladas no corrente ano lectivo. Quero saber se elas vão ser creditadas quando me inscrever em determinado curso.

Sim. Desde que obtenha aprovação nessas disciplinas, as mesmas serão objecto de certificação e serão creditadas no ciclo de estudos que frequente ou que venha a frequentar nesta Escola, mediante o seu pedido de creditação e respectivo pagamento de emolumentos. Consulte o Regulamento de frequência de Unidades Curriculares Isoladas.

Consulte o regulamento de unidades curriculares isoladas aqui

 

 

 

 

 

Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn

ACESSO RÁPIDO